Cascais, na Via Rápida para acabar com a epidemia do VIH e Sida e eliminar a Hepatite C em portugal até 2030

3 de Julho de 2018
Rosaria Silva

No dia 12 de julho, das 14h00 às 17h00 o Centro de Congressos do Estoril irá receber a apresentação pública da estratégia concelhia para aumentar a realização dos testes de rastreio, de forma a promover a deteção precoce e quebrar o ciclo de transmissão do VIH/SIDA e da Hepatite C em Portugal até 2030.

A ONUSIDA, um programa específico das Nações Unidas criado em 1996 e com o objectivo de criar soluções e ajudar as nações a prevenir o avanço do VIH reduzindo deste modo o impacto socio-económico desta epidemia, lança em Paris no 1.º dia de Dezembro de 2014, Dia Mundial de Luta contra a SIDA, através de uma declaração que ficou conhecida por “Declaração de Paris”, o projecto das Fast Track Cities. Uma rede de parceria mundial das cidades com elevada carga de VIH promovida por quatro principais entidades – a cidade de Paris, a Associação Internacional de Prestadores de Cuidados no Âmbito da SIDA (IAPAC) e os dois Programas da ONU: a ONUSIDA e o Programa específico para a Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (UN-HABITAT).

Muitas outras cidades pela mão dos seus presidentes de autarquia a nível mundial subscreveram os mesmos compromissos. Cascais, Lisboa e Porto fizeram-no em Maio de 2017. No mesmo dia, Cascais formalizava também a sua rede de parceria local (Consórcio) com o objectivo de eliminar o VIH e a Hepatite C propondo a implementação e a monitorização de estratégias específicas com o objectivo de aumentar a proporção de indivíduos que conhecem o seu estatuto serológico (VIH e Hepatite C) assegurando o linkage to care (referenciação) dos casos reativos, ou seja, contribuindo deste modo (1) para alcançar até 2020 as metas propostas pela UNAIDS (que 90% das pessoas que vivem com o VIH, conheçam o seu estatuto serológico; que 90% das pessoas que vivem com o VIH recebam tratamento antiretroviral e que 90% dessas mesmas pessoas tratadas tenham a carga viral indetectável) e (2) para alcançar até 2030 a estratégia europeia de erradicar a Hepatite C.

Cascais, tem desenvolvido um trabalho pioneiro a nível nacional reconhecido a nível ministerial conforme reunião no passado dia 1 de Março com o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Dr. Fernando Araújo. Cascais tem-se destacado pela originalidade desta task force constituída pela autarquia, pelos cuidados hospitalares e primários, por uma organização de base comunitária, pelos serviços prisionais, pela divisão de intervenção nos comportamentos aditivos e nas dependências e pelas farmácias de rua. Na qualidade de parceiros estratégicos conta com a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), com a Direção-Geral da Saúde (DGS) e com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).”

O desafio de implementar e de monitorizar estratégias inovadoras em cada uma destas entidades até à concretização do evento de junho, tornará Cascais como a primeira cidade do país a controlar de forma efectiva a infecção pelo VIH e da Hepatite C.

Consulte aqui o programa de dia 12 de julho

A entrada é gratuita mas está sujeita a inscrição prévia até 6 de julho.