Cascais reconhece e afirma o papel determinante do cuidador informal

9 de Abril de 2018
Rosaria Silva

No dia 12 de Abril realiza-se o Encontro CASCAIS CUIDA, no auditório da Casa de Histórias Paula Rego, promovido pela Câmara Municipal de Cascais.

Este Encontro será uma oportunidade de reflexão sobre a relevância do papel do cuidador informal, sobre as suas necessidades bem como sobre as medidas de política que neste momento estão a ser equacionadas quer a nível central quer local.

Também neste contexto terá lugar o enquadramento dos parceiros aderentes à Carta Compromisso “Cascais Cuida” que constitui um instrumento de orientação e concertação estratégica para o Concelho de Cascais, no contexto da intervenção com cuidadores informais bem como a apresentação das linhas orientadoras do Programa Municipal Cascais Cuida, programa-piloto que visa a definição de medidas que garantam a qualificação da rede de recursos de apoio aos cuidadores informais de pessoas em situação de dependência.

A Carta Compromisso, aprovada no dia 9 janeiro 2018, em Reunião de Câmara, contou na sua conceção com a parceria do ACES Cascais; da Alzheimer Portugal; da CERCICA; do Centro de Integração Comunitária; do Centro Paroquial do Estoril; da Escola Superior de Saúde de Alcoitão; da  Fundação Champagnat; da Fundação O Século e do Hospital de Cascais- Dr. José de Almeida e da Santa Casa da Misericórdia de Cascais.

A Carta compromisso prevê a constituição do grupo de acompanhamento:

  • Câmara Municipal de Cascais
  • Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais
  • Hospital de Cascais Dr. José de Almeida
  • Escola Superior de Saúde de Alcoitão
  • Alzheimer Portugal
  • CERCICA
  • Santa Casa da Misericórdia de Cascais

São aderentes à Carta Compromisso cerca de 32 entidades do concelho de Cascais, a intervir nesta área, das quais 5 são entidades privadas.

Trata-se de um instrumento de politica local que se fundamenta na mais-valia da intervenção articulada e em rede para a resposta aos novos desafios que decorrem do aumento da esperança média de vida que em várias situações está associado a incapacidades  físicas e psíquicas,  o que torna cada vez mais determinante o papel  dos cuidadores informais no suporte e cuidado aos seus dependentes. Cuidar não é uma tarefa fácil, determinando uma mudança radical na vida de quem cuida, exigindo a concretização de tarefas complexas, delicadas para cuja execução normalmente o cuidador informal não possui qualquer tipo de formação e para as quais não está na grande maioria das situações preparado para enfrentar. Implica despender e dedicar muito tempo nas tarefas de cuidar, donde advém de forma acrescida um desgaste físico, custos financeiros. Perante esta realidade urge atender às necessidades do cuidar informal.

A Câmara Municipal de Cascais tem assegurado o suporte financeiro ao desenvolvimento de projetos que contribuem para a redução da sobrecarga dos cuidadores informais. Este apoio financeiro tem sido integrado nos programas de financiamento previsto no âmbito do Serviço de Apoio Domiciliário, Centro de Atividades Ocupacionais e Fórum Sócio Ocupacional.

Em 2017, o movimento de partilha e discussão conjunta iniciado em torno de diversas plataformas temáticas com intervenção concelhia junto de cuidadores informais possibilitou o desenho, aprovação e implementação da Carta Compromisso Cascais Cuida, que enquadram e justificam a definição e implementação do Programa Municipal Cascais Cuida.