Saúde Participativa – Plenário Local de Promoção da Saúde

11 de Dezembro de 2017
Rosaria Silva

É já no próximo dia 7 de dezembro às 21h00 que tem lugar no Mercado da Parede a sessão “Saúde Participativa”, uma iniciativa do Fórum Concelhio para a Promoção da Saúde que pretende contribuir para a constituição de um espaço informado de debate e cidadania aberto a todos os interessados.

Procurando ir ao encontro de um tema subjacente a algumas das principais preocupações levantadas durante os quatro Plenários Locais de Promoção da Saúde realizados em janeiro de 2016 e que conduziram à elaboração da Estratégia Local de Promoção da Saúde 2016-2020, o Fórum convidou o neurologista Alexandre Castro Caldas a partilhar com os presentes o seu conhecimento sobre o cérebro humano na sua relação com as demências, bem como sobre alguns dos mitos e realidades que rodeiam esta área com tanto impacto na sociedade.

O programa da sessão contará também com um momento de prestação de contas sobre o estado de execução das 18 medidas que integram a Estratégia 2016-2020 e ainda um espaço de debate e trabalho com os presentes tendo em vista a definição das temáticas a integrar na programação de palestras, workshops e ações de sensibilização a organizar pelo Fórum em 2018.

A sua opinião conta. Partilhe-a connosco e contribua para a construção de uma agenda local de promoção da saúde.

A Estratégia Local de Promoção da Saúde é assim entendida como um compromisso de todos, isto é dos agentes públicos e dos privados, mas também do cidadão a título individual, na condução de políticas promotoras de saúde.

Programa

20h00 – Acolhimento dos participantes
21h10 – Abertura dos trabalhos | Vereador Frederico Pinho de Almeida
21h20 – Conferência – O Cérebro: Mitos e Realidades | Prof. Dr. Alexandre Castro Caldas
21h50 – Estratégia Local de Promoção da saúde 2016/2020 – Ponto de situação
22h05 – Saúde Participativa: Dinâmica de grupos
22h35 – Coffee break
22h45 – Partilha de Resultados
23h00 – Encerramento

Sobre o Orador

Alexandre Castro Caldas, atual Diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, foi até Fevereiro de 2004 Professor Catedrático de Neurologia na Faculdade de Medicina de Lisboa e Diretor do Serviço de Neurologia do Hospital de Santa Maria em Lisboa. Fez a sua licenciatura e o seu doutoramento na Faculdade de Medicina de Lisboa, onde iniciou a sua carreira em 1974. Foi responsável pelo Laboratório de Estudos de Linguagem até 1998 e organizou o Centro de Neurociências de Lisboa em 1990. Foi Presidente da International Neuropsychological Society (2000-2001). As suas publicações incluem dois livros de texto para os estudantes, A Herança de Franz Joseph Gall e Viagem ao Cérebro e a algumas das suas Competências, e mais de 100 artigos em revistas internacionais, tais como: Brain, Neurology, NeuroImage, Journal of Cognitive Neurosciences, JINS, e inúmeros capítulos em livros nacionais e internacionais. É membro de diversas sociedades internacionais e consultor de muitas revistas nacionais e estrangeiras. O seu principal interesse científico relaciona-se com as Neurociências Cognitivas e com as doenças do Movimento.

Sobre a Estratégia Local de Promoção da Saúde

A construção da Estratégia Local de Promoção da Saúde ocorre no contexto de implementação do Fórum Concelhio para a promoção da saúde de Cascais e pretende ser um instrumento concelhio de planeamento estratégico no domínio da Promoção da Saúde.
Reporta-se ao período de 2016-2020, estando alinhada com os principais documentos estratégicos para o setor, desde o Programa Portugal 2020 ao Plano Nacional de Saúde (revisto e estendido a 2020).

A sua elaboração assenta no cruzamento de informação de diagnóstico de nível nacional e local, bem como de um modelo de planeamento participado que possibilitou auscultar não só as entidades concelhias com intervenção em promoção da saúde, como também os cidadãos, em ordem a identificar prioridades e medidas de ação.

Procurou-se, assim, assegurar o envolvimento de diferentes atores na construção de um importante documento estratégico e traduzir de forma efetiva o compromisso de Cascais com a construção de uma cidadania em saúde, no pressuposto de que só uma visão partilhada possibilitará alcançar uma intervenção local colaborativa, capaz de produzir mudanças estruturais sustentáveis.
O documento estrutura-se em cinco eixos fundamentais.

Inicia-se com um breve enquadramento que pretende apresentar as grandes questões subjacentes ao tema, tais como: o direito à saúde, a mudança de paradigma que levou ao desenvolvimento da Promoção da Saúde, o contexto nacional marcado pelo envelhecimento da população e pela discussão sobre a sustentabilidade do Sistema Nacional de Saúde e o papel das autarquias em processos estratégicos de planeamento intersetorial em saúde.

Seguidamente, procura-se apresentar o processo de constituição do Fórum Concelhio para a Promoção da Saúde – entidade responsável pela dinamização do processo de construção da Estratégia Local de Promoção da Saúde bem como as âncoras nas quais assentou a elaboração da Estratégia propriamente dita: objetivos, modelo conceptual e metodologia.

Segue-se a identificação dos eixos estratégicos e do conjunto de medidas que, resultantes do modelo de planeamento participado, compõem a Estratégia propriamente dita e, finalmente, o modelo de monitorização que será aplicado para verificar a execução das medidas durante o respetivo período de vigência.